Paróquia de São Miguel da Lama - Santo Tirso
11 de Fevereiro de 2011

" Durante o meu segundo mês na escola de enfermagem, o nosso professor deu-nos um questionário.

Eu era bom aluno e respondi rápido todas as questões até chegar a última que era:

"Qual o primeiro nome da mulher que faz a limpeza da escola?"

Sinceramente, parecia uma piada.

Eu já tinha visto a tal mulher varias vezes.

Ela era alta, cabelo escuro, lá pelos seus 50 anos, mas como eu ia saber o primeiro nome dela?

Eu entreguei o teste deixando essa questão em branco e um pouco antes da aula terminar, um aluno perguntou se a ultima pergunta do teste ia contar para nota. "É claro!", respondeu o professor.

"Na tua carreira, irás encontrar muitas pessoas. Todas têm seu grau de importância. Elas merecem a tua atenção mesmo que seja com um simples sorriso ou um simples 'olá' ".

Eu nunca mais esqueci desta lição e também acabei aprendendo que o primeiro nome dela era Dorothy. "

 

E vocês? sabem o nome senhora que faz a limpeza na escola? Dos vossos vizinhos? Dos vossos amigos/as?

 

publicado por jovens sol nascente às 14:39
01 de Novembro de 2010

" Sentir o nosso coração ao mesmo tempo que o de alguém a quem damos um abraço faz-nos de tal maneira bem à saúde, traz-nos uma tal paz, que até existe uma forma de tratamento chamada Terapia do Abraço.

Um bom abraço ajuda-nos a sentir as muitas dimensões do amor: a facilidade para receber e dar, a sensibilidade para o sofrimento, a disponibilidade para a alegria de se divertir e a profundidade da ternura.

Abraçar alguém é como dizer-lhe: "Olha, aqui estou para o que quiseres, de coração aberto para ti". O que implica aceitar ser rejeitado. Mal interpretado. Correr esse risco.

No entanto, só se a atitude interior, o pano de fundo a partir do qual nos relacionamos com os outros, for de lhes estender os braços e de os tocar, poderemos descobrir o valor da partilha.

Não são só as pessoas solitárias, infelizes, inseguras, que precisam ser abraçadas. Abraçar bem dá-nos saúde. Mas não se trata de abraços sociais, de conveniência, em que duas pessoas se tocam apenas por fora – portanto não se tocam -, nem de abraços de dois amantes apaixonados que um ao outro se agarram.

São abraços que acontecem porque saem cá de dentro sem que os travemos. Como expressão de um amor incondicional que nos habita – e de que não temos medo, porque o olhamos como algo que verdadeiramente nos liberta.

A intimidade que um abraço sincero oferece é a da compreensão. Da atenção. Da solidariedade. Da amizade que existe para lá da exaltação dos sentidos, apenas por ter a consistência daquilo que brota do fundo de nós mesmos e que se mantém quer faça sol quer chova.

Abraços são uma espécie de foguetes capazes de fazer despertar moribundos ou fazer levantar da cama preguiçosos. Explosões de vida. Há quem goste de os dar para reafirmar um vínculo de amizade ou qualquer outro sentimento. E são uma das melhores festas gratuitas a que toda a gente tem acesso. São abraços do fundo do coração, frequentes entre duas pessoas que, por nada pedirem uma à outra, de cada vez que se encontram recebem sempre muito – e apenas por isso são levadas a celebrá-lo.

Quando um coração se abre para outro coração, há quase sempre uma qualquer maravilha que pode acontecer. Ou, quanto mais não seja, uma sensação de paz possível, neste mundo cheio de guerras em que vivemos. "

 

Adaptado do texto "Venha daí um bom abraço!", Mais e Melhor, Maria José Costa Félix

 

publicado por jovens sol nascente às 23:45
07 de Fevereiro de 2010

“Certo dia, um bezerro precisou de atravessar uma floresta virgem para voltar ao seu pasto. Sendo um animal irracional, abriu uma trilha tortuosa…cheia de curvas…subindo e descendo colinas. No dia seguinte, um cão que passava por ali usou essa mesma trilha torta para atravessar a floresta.

 

Depois foi a vez de um carneiro, líder de um rebanho, que fez os seus companheiros seguirem pela mesma trilha torta. Mais tarde, os homens começaram a usar esse caminho: entravam e saíam, viravam a direita, à esquerda, baixando-se, desviando-se de obstáculos. Reclamavam e praguejavam, até com alguma razão . . . mas não faziam nada para mudar a trilha .

 

Depois de tanto uso, essa trilha acabou por ser uma estradinha onde os pobres animais se cansavam sob cargas pesadas, sendo obrigados a percorrer em três horas uma distância que poderia ser vencida em, no máximo, uma hora, caso a trilha não tivesse sido aberta por um irracional bezerro.

 

Muitos anos passaram e a estradinha tornou-se a rua principal de uma vila e, posteriormente, a avenida principal de uma cidade. A avenida transformou-se no centro da capital, e por ela passaram a transitar diariamente milhares de pessoas, seguindo a mesma trilha torta feita pelo bezerro irracional, centenas de anos antes… Os homens têm a tendência de seguir como cegos pelas trilhas de bezerros das suas mentes, e esforçam-se de sol a sol para repetir o que os outros já fizeram.

 

A velha e sábia floresta ri-se daqueles que percorrem a trilha, como sendo um caminho único…sem se atrever a mudá-lo. Só porque parece evidente e inevitável usá-lo. A propósito, já escolheu o seu caminho hoje, ou vai seguir a trilha do bezerro? “

publicado por jovens sol nascente às 19:39
tags:
18 de Dezembro de 2009

 

Contam que certa vez, duas moscas caíram num copo de leite. A primeira era forte e valente.
Assim, logo ao cair, nadou até a borda do copo. Mas como a superfície era muito lisa e ela tinha as suas asas molhadas, não conseguiu sair. Acreditando que não havia saída, a mosca desanimou, parou de nadar e afundou-se.
 
A sua companheira de infortúnio, apesar de não ser tão forte, era tenaz. Continuou a debater-se, a debater-se e a debater-se por tanto tempo, que, aos poucos o leite ao seu redor, com toda aquela agitação, foi se transformando e formou um pequeno nódulo de manteiga, onde a mosca tenaz conseguiu, com muito esforço, subir e dali voar para algum lugar seguro.
 
no entanto…
 
Tempos depois, a mosca tenaz, por descuido ou acidente, novamente caiu num copo, desta vez, um copo de água. Como já havia aprendido na sua experiência anterior, começou a debater-se, na esperança de que, no devido tempo, se salvaria. Uma outra mosca, que passava por ali e vendo a aflição da companheira de espécie, pousou na ponta do copo e gritou: “Está uma palhinha ali, nade até lá e suba por ela” A mosca tenaz não lhe deu ouvidos, baseando-se na sua experiência anterior de sucesso, continuou a debater-se e a debater-se, até que, exausta, afundou-se no copo cheio de água.
 
 
publicado por jovens sol nascente às 12:57
tags:
26 de Outubro de 2009

O homem foi a o barbeiro para cortar o cabelo, como ele sempre fazia. Começou a conversar com o barbeiro e falaram sobre vários assuntos.
Conversa vai, conversa vêm, eles começaram a falar sobre Deus. O barbeiro disse:
-Eu não acredito que exista como você diz.
-Por que você diz isto? O cliente perguntou.
-Bem, é muito simples. Você só precisa sair na rua para ver que Deus não existe. Se Deus existisse, você acha que existiriam tantas pessoas doentes e crianças abandonadas? Se Deus existisse não haveria dor ou sofrimento. Eu não consigo imaginar que Deus permita todas essas coisas.

O cliente pensou por um momento, mas ele não quis dar uma resposta para evitar uma discussão. O barbeiro terminou o trabalho e o cliente saiu. Neste momento, ele viu um homem na rua com barba e cabelos longos. Parecia que já fazia um bom tempo que ele não cortava o cabelo ou fazia uma barba.

Então o cliente voltou para a barbearia e disse ao barbeiro:
-Sabe de uma coisa os barbeiros não existem.
-Como assim, eles não existem? perguntou o barbeiro. Eu estou aqui e sou um barbeiro.
-Não exclamou o cliente. Eles não existem porque se existissem não existiriam pessoas com barba e cabelos longos, como aquele que esta andando ali na rua.
-Ah, mas barbeiros existem, o que acontece é que as pessoas não me procuram isso é uma opção delas.
-Exatamente afirmou o cliente.

publicado por jovens sol nascente às 15:47
tags:
08 de Outubro de 2009

Um dono de uma quinta coleccionava cavalos, e só lhe faltava uma determinada raça. Um dia descobriu que o seu vizinho tinha essa raça, e fez tudo até consguir comprá-lo.

Um mês após ter comprado o cavalo, este adoeceu, e chamou então um veterinário.

- O seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu voltarei, e caso ele não esteja melhor terei de sacrificá-lo.

O porco que se encontrava tambem no estábulo, escutou a toda a conversa. No dia seguinte deram o medicamento e foram embora. O porco aproximou-se do cavalo e disse-lhe:

-Vamos lá amigo, levanta-te senão vais ser sacrificado!

No segundo dia deram novamente o medicamento e foram embroa. O porco aproximou-se novamente do cavalo:

- Levanta-te amigo! levanta-te senão vais morrer! anda lá que eu ajudo-te!

No terceiro dia deram novamente o medicamento e ao ver que não melhorava o veterinario disse:

-Infelizmente vamos ter de sacrificá-lo amanhâ, a virose pode contaminar todos os outros cavalos!

Quando foram embora o porco aproximou-se do cavalo e disse:

- É agora ou nunca! levanta-te, coragem, fantástico, corre, corre mais! conseguis-te! e o cavalo saiu a correr pelo estábaluo fora.

O dono ao vero cavalo a correr pelo campo fora gritou:

Milagre! o cavalo melhorou! isto merece uma festa... Vamos matar o porco!

 

 

publicado por jovens sol nascente às 20:46
tags:
01 de Setembro de 2009

 

“Posso ter defeitos, viver ansioso
e ficar irritado algumas vezes mas
não esqueço de que minha vida é a
maior empresa do mundo, e posso
evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale
a pena viver apesar de todos os
desafios, incompreensões e períodos
de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos
problemas e se tornar um autor
da própria história. É atravessar
desertos fora de si, mas ser capaz de
encontrar um oásis no recôndito da
sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã
pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios
sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma
crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir
um castelo…”

 
Anónimo*
 
*Este texto vem sendo divulgado como sendo de Fernando Pessoa, o que é errado. Ver
 
publicado por jovens sol nascente às 15:14
tags:
20 de Agosto de 2009

Há pessoas estrelas e pessoas cometas

Os cometas passam
Apenas são lembrados pelas datas
Em que passam e retornam.
Os cometas desaparecem...
Há muita gente cometa!
Passa pela vida da gente apenas por uns instantes...
Gente que não prende ninguém e
Que a ninguém se prende.
Gente sem presença...

Importante é ser estrela
Permanecer... estar presente...marcar presença...
Estar junto...
Ser luz... Ser calor... Ser vida.

Amigo é estrela
Podem passar anos, podem surgir distâncias,
Mas fica a marca no coração.
Coração que não quer enamorar-se de cometas
Que apenas atraem olhares passageiros...

E muitos são os cometas...
Passam...a gente bate palmas e desaparece
Ser cometa não é ser amigo...
É ser companheiro por instantes...
É explorar o sentimento humano...
A solidão de muitas pessoas é consequência
De não poderem contar com alguém.
A solidão é resultado de uma vida cometa
Ninguém fica.
Todos passam...
E a gente também passa pelos outros...

Há a necessidade de ser criar um mundo de estrelas
Todos os dias sentir sua luz e calor...
Assim são os amigos estrelas da vida da gente.
Pode-se contar com eles.
Eles são a presença.
São coragem nos momentos difíceis.
São luz nos momentos escuros.
São segurança nos momentos de desanimo...
Ser estrela neste mundo passageiro
Neste mundo de pessoas cometas é um desafio,
Mas, acima de tudo, uma recompensa

É nascer e ter vivido e não apenas ter existido!

 

 

publicado por jovens sol nascente às 14:14
tags:
07 de Agosto de 2009

 

 

 
 
Este texto já é mais que conhecido,contudo deixamo-lo aqui pela beleza do seu significado.
 
"Uma noite eu tive um sonho...

 Sonhei que estava andando na praia com o Senhor

E através do céu, passavam cenas da minha vida.
Para cada cena que se passava
Percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia;
Um era meu e o outro era do Senhor.
Quando a última cena da minha vida passou diante de nós,
Olhei para trás, para as pegadas na areia
E notei que muitas vezes no caminho da minha vida
Havia apenas um par de pegadas na areia
Notei também que isto aconteceu
Nos momentos mais difíceis e angustiosos da minha vida.
Isso entristeceu-me deveras e perguntei então ao Senhor:
- Senhor, Tu disseste-me que uma vez que eu resolvi seguir Te,
Tu andarias sempre comigo, todo o caminho...
Mas notei que durante as maiores aflições da minha vida
Havia na areia dos caminhos da minha vida, apenas um par de pegadas.
Não compreendi porque nas horas em que mais necessitava de Ti,
Tu me deixaste. O Senhor respondeu-me:
-Meu filho eu amo te e jamais te deixaria,
Nos momentos das tuas provações e do teu sofrimento,
Quando vistes na areia, apenas um par de pegadas
Foi porque exactamente aí, que eu te carreguei nos braços".
publicado por jovens sol nascente às 09:18
tags:
mensagens
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
RSS
mais sobre mim
Ensaio
Sextas: 21h00 às 22h00; Sábados: 17h30;

Salão Paroquial da Lama

Contador de Visitas
Contador de visitas