Paróquia de São Miguel da Lama - Santo Tirso
26 de Outubro de 2009

O homem foi a o barbeiro para cortar o cabelo, como ele sempre fazia. Começou a conversar com o barbeiro e falaram sobre vários assuntos.
Conversa vai, conversa vêm, eles começaram a falar sobre Deus. O barbeiro disse:
-Eu não acredito que exista como você diz.
-Por que você diz isto? O cliente perguntou.
-Bem, é muito simples. Você só precisa sair na rua para ver que Deus não existe. Se Deus existisse, você acha que existiriam tantas pessoas doentes e crianças abandonadas? Se Deus existisse não haveria dor ou sofrimento. Eu não consigo imaginar que Deus permita todas essas coisas.

O cliente pensou por um momento, mas ele não quis dar uma resposta para evitar uma discussão. O barbeiro terminou o trabalho e o cliente saiu. Neste momento, ele viu um homem na rua com barba e cabelos longos. Parecia que já fazia um bom tempo que ele não cortava o cabelo ou fazia uma barba.

Então o cliente voltou para a barbearia e disse ao barbeiro:
-Sabe de uma coisa os barbeiros não existem.
-Como assim, eles não existem? perguntou o barbeiro. Eu estou aqui e sou um barbeiro.
-Não exclamou o cliente. Eles não existem porque se existissem não existiriam pessoas com barba e cabelos longos, como aquele que esta andando ali na rua.
-Ah, mas barbeiros existem, o que acontece é que as pessoas não me procuram isso é uma opção delas.
-Exatamente afirmou o cliente.

publicado por jovens sol nascente às 15:47
tags:
08 de Outubro de 2009

Um dono de uma quinta coleccionava cavalos, e só lhe faltava uma determinada raça. Um dia descobriu que o seu vizinho tinha essa raça, e fez tudo até consguir comprá-lo.

Um mês após ter comprado o cavalo, este adoeceu, e chamou então um veterinário.

- O seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu voltarei, e caso ele não esteja melhor terei de sacrificá-lo.

O porco que se encontrava tambem no estábulo, escutou a toda a conversa. No dia seguinte deram o medicamento e foram embora. O porco aproximou-se do cavalo e disse-lhe:

-Vamos lá amigo, levanta-te senão vais ser sacrificado!

No segundo dia deram novamente o medicamento e foram embroa. O porco aproximou-se novamente do cavalo:

- Levanta-te amigo! levanta-te senão vais morrer! anda lá que eu ajudo-te!

No terceiro dia deram novamente o medicamento e ao ver que não melhorava o veterinario disse:

-Infelizmente vamos ter de sacrificá-lo amanhâ, a virose pode contaminar todos os outros cavalos!

Quando foram embora o porco aproximou-se do cavalo e disse:

- É agora ou nunca! levanta-te, coragem, fantástico, corre, corre mais! conseguis-te! e o cavalo saiu a correr pelo estábaluo fora.

O dono ao vero cavalo a correr pelo campo fora gritou:

Milagre! o cavalo melhorou! isto merece uma festa... Vamos matar o porco!

 

 

publicado por jovens sol nascente às 20:46
tags:
mensagens
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31
RSS
mais sobre mim
Ensaio
Sextas: 21h00 às 22h00; Sábados: 17h30;

Salão Paroquial da Lama

Contador de Visitas
Contador de visitas